Eu sou Carlos Latuff, cartunista e fã ferroviário. O propósito desta página é compartilhar com os internautas uma seleção das melhores imagens produzidas durante minhas expedições ferroviárias. Os registros aqui publicados podem ser reproduzidos pelos interessados, com tanto que para fins não-comerciais de informação, citando a fonte (por gentileza). Sou também colaborador do sítio www.estacoesferroviarias.com.br, de autoria do pesquisador Ralph Mennucci Giesbrecht, a página mais completa da Internet sobre estações ferroviárias brasileiras.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Finalmente! Primeira expedição do ano!

Enquanto escrevo estas palavras, vejo a chuva do lado de fora de minha casa, no subúrbio carioca de São Cristóvão. Já tinha me esquecido de como era um clima ameno. Esse foi o pior verão que já passei na vida. Termômetros atingindo 42 graus, falta d'água, cortes de luz, caos nos transportes públicos. A cidade do Rio de Janeiro, que hoje completa 445 anos, está entregue as baratas, ou melhor, a ratazanas de colarinho branco.

(Clique na imagem para ampliar)



Voltei a Belo Horizonte na semana passada para uma palestra na PUC de São Gabriel, convidado pelo estudante Israel, integrante do Diretório Acadêmico de Comunicação Integrada (DACOI). Tendo cumprido meu compromisso com os estudantes, tirei um dia (Sábado, 27 de fevereiro) para investigar as condições das estações ferroviárias de Barra Feliz, Santa Bárbara, Costa Lacerda e Florália, todas pertencentes ao ramal de Nova Era, da extinta Estrada de Ferro Central do Brasil. Visitei esse ramal ano passado, em Sabará.

Distante 108km de Belo Horizonte, Santa Bárbara é uma típica cidade colonial mineira, com belíssimos casarões e igrejas. Vale a pena conhecer. A ferrovia já não corta mais a cidade, graças a um desvio construído pela Companhia Vale do Rio Doce. A estação ferroviária continua de pé, em processo de restauração, e futuramente irá abrigar o Centro de Produção, Qualificação e Comercialização do Artesanato de Santa Bárbara. Consta numa placa exposta numa das laterais da estação:

"Prédio inaugurado em 1911 pela Companhia Estrada de Ferro Espírito Santo-Minas, que explorava o ramal entre Santa Bárbara e Sabará, incorporado à Estrada de Ferro Central do Brasil (...) Era o último ramal daquela ferrovia e fazia ligação também com o Espírito Santo, recebendo mercadorias e remetendo produtos locais para outros pontos do país."

(Clique nas imagens para ampliar)









Pouco depois de ter desembarcado em Santa Bárbara, partindo de BH numa viagem de pouco mais de 2 horas de ônibus, conheci o simpático fotógrafo Marcos Leg, que tem seu micro estúdio num trailer estacionado bem ao lado da capela do cemitério da cidade. Para minha surpresa, Marcos mantém num album algumas fotos antigas da estação de Santa Bárbara, que publicarei aqui na próxima postagem.
Não percam!
:)

Um comentário:

joiner disse...

Gostaria tambem de ver reportagem de meu avõ João Borges que foi fundador da vila costa lacerda em Santa Barbara mg.